Header Ads

Image and video hosting by TinyPic

News

Eleições 2016 já faz mudanças no cotidiano da Administração Pública em Ourinhos

As eleições de prefeitos e vereadores nas cidades sempre foram os maiores eventos realizados nas cidades, uma disputa que envolve a base eleitoral de toda nação, e é no resultado dessa disputa que os deputados estaduais e federais, senadores, governadores e até o presidente têm expectativa de que suas bases eleitorais serão a excelência para suas próprias disputas, pois serão os vereadores e prefeitos seus maiores puxadores de votos para que se elejam ou reelejam, influenciando e pedindo votos.

É público e notório que as eleições para prefeitos e vereadores já iniciaram atividades, embora ainda de forma extemporânea e até sujeita as sanções da Justiça Eleitoral caso os possíveis candidatos extrapolem suas campanhas antes da largada oficial.

Neste momento crucial para os partidos e candidatos, os mais afoitos já se apresentaram, uns de forma velada e outros de forma escancarada, ainda que não o pudessem antes do prazo assinado pela Justiça Eleitoral.

Como a lei eleitoral ainda se encontra em evolução, buscando desculpas pra isso e aquilo e o pleito de 2016 já está aí, batendo as portas do Legislativo, do Executivo e do povo, sendo necessário nos apegarmos a lei atual como se fosse ela um semi-Deus, as mudanças começaram, sendo certo que o secretários municipais virtuais candidatos aos cargos em questão devem se desincompatibilizar dos cargos ocupados se quiserem realmente ser candidatos, sendo uma cruel escolha, pois se sai e perde a eleição, em muitos casos acabou para ele a carreira política ou deverá voltar a secretaria que ocupava e tomar posse novamente, sendo essa a dança dos candidatos e seus "coringas".

Tanto uma mudança de partido como o fato de largar o cargo e assumir a incerta candidatura são atitudes difíceis, mas que devem ser tomadas.

E o que nos reserva o Legislativo e o Executivo ourinhense?

É certo que alguns virtuais candidatos, ocupantes de cargos no Executivo devem se desincompatibilizar já no final do mês de março, impreterivelmente, para assumirem suas posições de candidatos a vereador sem fugirem às regras, e assim a TV MASSIVA teve acesso a alguns nomes já fortemente cogitados para saírem e os nomes dos também candidatos a assumirem essa vacância, podendo até mesmo haver desistências e troca de apontados, mas que serão corrigidos a medida em que tudo acontece, sendo eles:

01 - A Secretária de Educação, Maria Tereza Paschoal, sai e entra Carmen Lúcia Pereira em seu lugar;

02 - O Secretário de Serviços Urbanos, Edson Carnevale, sai e entra em sua pasta Amarildo Cabral enquanto em seu lugar na coordenadoria do Pátio da Prefeitura entra Alechandre L. Ribeiro, atualmente na SAE;

03 - O Secretário de Cultura, Fernando Cavezali, sai e entra Júlio Cesar Oliveira em seu lugar;

04 - Já na Secretaria de Administração Antonio Carlos Gregório sai e assume em seu lugar Sandro Corte Vita;

05 - E finalmente, até onde podemos apontar como já certo junto aos caciques políticos, o Secretário de Desenvolvimento Urbano, José Claudinei Messias, sai e entra em seu lugar Lavínia Xavier.

É certo que o péssimo trabalho desempenhado pelos vereadores atuais, que relutaram em abaixar seus salários para ajudar a cidade, trabalhando contra a população e nos próprios interesses mesmo após manifestações de munícipes na Câmara Municipal, assim como também não se sensibilizaram em voltar atrás com o aumento do número de edís aprovados recentemente de 11 para 15, com receio de alguns perderem as cadeiras para novatos e a manutenção de assessores parlamentares colaborou muito para que a quantidade de candidatos aumentasse e, consequentemente, as verbas a serem pagas pelo Município para manter o Legislativo a partir de 2017, ainda que sem contrapartida plausível, aumentarão substancialmente em todos os sentidos, causando um buraco maior nos já combalidos cofres públicos.
 

   Fonte: Agencia Massiva